sábado, 24 de maio de 2014

Só nosso

Sabe aquele sonho bom, que nos prende na magia, e nos apresenta para a fantasia? Aquele mesmo que traz a adrenalina junto à calma, a lagrima junto ao riso, a preocupação junto à tranquilidade? É... Esse mesmo que nos faz querer não voltar para a realidade.
Em algum momento da vida, encontramos pessoas nas quais nos proporciona tudo isso, e que nos faz entender que o melhor lugar do mundo não são aqueles que possuem grandes monumentos ou belas aparências, mas sim aquele que traz conforto, paz, e uma sensação incrível que sabemos só encontrar ao lado daquela pessoa.
 E quando à encontramos, aprendemos que são naqueles abraços que nos perdemos, é neles que não sabemos diferenciar o que faz ou não parte do real... e é só neles que sentimentos a confiança de que podemos tudo e ao mesmo tempo não ligamos para mais nada.
 Não sei os outros, e na verdade nem procuro querer saber, mas sei que me apaixonei sem ter o direito de escolha... e se pudesse? Escolheria você! Com todas as manias, jeitos e costumes.
 Ao seu lado o mundo se torna tão pequeno, e os planos tão grandes. As viagens feitas pelo pensamento vão além de qualquer ponto de parada, vão além de qualquer destino.
As vezes as palavras não conseguem chegar nem próximo da intensidade do que sentimos, e na verdade, eu nem gostaria... Porque eles são nossos. E só nossos!
 Você apareceu do nada... E agora até quem me vê ao acaso, não tem duvidas de que amo você! Não agora, e nem depois, mas... Para todo sempre!

By: Carol Marques

domingo, 16 de fevereiro de 2014

E como vamos?

Olhar para o nada, que absolutamente, se torna a inspiração de tudo, e desenhar o destino de forma a deixar o sonho falar mais alto, e fazer das expectativas, palavras escritas com o mesmo lápis com que se pinta a felicidade.
 É... a vida seria fantástica se fosse assim. Mas, se dessemos continuidade a essa ideia, passados alguns minutos, não saberíamos mais o significado do "viver"! 
 Boas sensações não são independentes, são resultados de nossas lutas diárias, onde o campo de batalha muda a cada passo, com cada atitude, para o mesmo objetivo. Seja qual for o resultado que procuramos, no fim, estamos atras sempre da mesma coisa: ser feliz!
 Não é mentira quando ouvimos ou falamos que nós somos os verdadeiros culpados por complicar tudo, pelo contrario, somos sim os responsáveis, e assim por dizer, as únicas alternativas também!
 Nunca foi fácil. Nunca vai ser fácil. Mas podemos estar aptos, e o que nos deixa mais próximos ou distantes disso é a forma de como estamos disposto a olhar para a situação.
 O que nos difere do hoje para o amanha, não é o dia, nem o lugar e nem as pessoas, é a essência da armadura com que vamos!



By: Carol Marques

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Intensidade das fases

 Estranho a forma de como o tempo age, ontem uma coisa, hoje outra. Como se o objetivo de antes não fosse aquele mesmo no qual tanto desejávamos e lutávamos para alcançar, como se na chegada o premio que víamos tivesse se transformado. Talvez isso aconteça porque la atras, não pensávamos em consequências, mas apenas nos benefícios.
 A mão de um adulto que segura uma caneta, produz números, cria formulas, copia escritas, enquanto uma pequena mão que ainda tem dificuldade para saber a força que se deve depositar no punho, segura um lápis, e junto dele a porta da fantasia onde se desvenda os segredos de uma mente repleta de magia.
 E se analisarmos a fundo, veremos que não passa dos mesmos dedos. A diferença esta em apenas um simples detalhe: um possui sonhos e o outro esta ocupado demais para voltar a acreditar.
 As intensidades estão sujeitas a mudanças, a qualquer dia, a qualquer hora, não sabemos seus momentos exatos, mas sabemos que não estamos imunes a seus caminhos.
 Fases, estações... Tudo muda, tudo se remete ao desafio,e de certa forma, tudo acontecesse, porem, não à regras que dizem que temos que perder o encanto de um sorriso sem motivos, ou de um olhar ligado diretamente a imaginação, onde um simples papel se torne um grande castelo. 
 Não viremos escravos da rotina sem vida, façamos dela mais uma incrível aventura, por que o importante, não é o que fazemos, mas o que sentimos com o que fazemos!


By: Carol Marques

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Autoentendimento

Todos em algum momento, já sentiu uma ansiedade  na qual não se sabia de onde vinha e nem para onde ia. Talvez fosse só a natureza brincando com as emoções.
 Todos já sentimentos vontade de ir pra qualquer lugar onde a unica companhia seria a leve brisa do vento acompanhada da magnifica obra de arte da noite: a lua.
 As vezes o que mais queremos, nem sempre é gritar alto o que sentimos, mas sim, apenas sentar e poder olhar para dentro do nosso próprio interior e se explicar, ou apenas, conseguir se entender.
 O interessante dessa situação é que ao tentar fazer isso, nosso objetivo muda. Não procuramos mais os motivos, mas sim começamos a identificar suas ligações, as linhas que ligam os fatos, os atos e até mesmo as reações.
 Inacreditável o que acontece conosco, vivemos tentando entender as pessoas, a natureza, o mundo, mas, quando se trata de nós, a unica coisa que queremos é algo no qual traga aconchego, conformidade, simplicidade e praticidade. Desejamos sempre caminhos mais fáceis, mas nos esquecemos, que a dificuldade faz parte dos resultados.
 Ao invés de reclamações, usemos agradecimentos. Ao invés de lamentos, compreensões. Não é sempre que os significados apareceram, as vezes teremos de busca-los!


By: Carol Marques

domingo, 19 de maio de 2013

Mascaras

E são nos universos que nos encontramos, seja ele composto por uma infinidade de estrelas, ou por uma imensidão de pensamentos.
 As vezes nos pegamos tentando entender fatos ou situações que de primeira vista são indecifráveis, mas que ao mergulharmos na profundidade dos significados achamos a chave que abre a caixa de respostas.
 De certa forma, nada é completamente conhecido, grande prova disso são as pessoas, onde algumas nos trazem uma convivência de anos, e outras que conhecemos a minutos e já nos dão a ideia de termos convivido longamente. Algumas vezes ambos tipos nos surpreendem, nos mostrando que muito alem de pessoas, são mascaras.
 A falsidade é algo admirável, devemos com as mais intensas sinceridades parabenizar os seres que conseguem agir de tal forma, até porque nada mais são que atores interpretando personagens. Alias, enganam-se ao achar que estão sendo sociável, pois muito pelo contrario, estão  dando provas de que não conseguiriam ter uma vida em grupo se fossem eles mesmo.
 Independente do que sejamos, do que pensamos ou do que achamos, ainda sim mostremos quem realmente somos!

By: Carol Marques



 

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Onde esta a realidade

Em meio a uma sociedade hipócrita, a personalidade é apenas detalhe...
Todos nós ja sorrimos por si próprios sem pensar em motivos, assim como ja nos deram inúmeras razões para nossos comportamentos, sem se preocuparem com o que ou quem envolveriam, de forma a buscar um único objetivo, o "saber" , seja ele vindo de deduções ou simples invenções, mas sempre se resultando em algo no qual traga a sensação do "conhecimento" alheio.
 Vivemos envolvidos por mascaras, ouvindo realidades disfarçadas em fantasias, onde o mundo interno luta com o externo, mostrando-se sempre esperançoso, tentando achar uma saída  porem, na maioria das vezes, derrotado.
 Tudo para que?
 Para provar o que não é, para quem não se preocupa... E por mais empenhados que estejam, ainda sim não obterá a totalidade da vontade.
 Façamos de nós uma só pessoa, esqueçamos  das imposições, das obscuridades, das formulas, das comparações, para que dessa forma o limite se extingua, e só assim,  nos permitimo-nos ter o poder de sorrir por inteiro.

By: Carol Marques

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Paz

 As vezes procuramos tanto pela paz, que não nos damos conta que essa procura é o verdadeiro motivo da ausência.
 Ficamos fissurados por respostas, e esquecemos que frustrações desnorteia nossas perguntas de forma a nos levar a acreditar que não somos nada alem de qualquer um.
 O bem não esta nas consequências dos atos, mas sim na forma de como o encaramos. Pode ser bom para todos, mas não para você!
 Não se trata de um único conceito, e nem de um único objetivo , talvez o segredo da tranquilidade, a senha do alivio, seja nada alem que: o conhecimento próprio!
 Não ha formulas que identifique o caminho que procuramos, mas há uma dica: conhecemo-nos a nós! Só assim acharemos a chave de acesso para o mundo.


By: Carol Marques